Dieta restritiva: o outro lado da moeda

245_256x256

Pessoas que querem perder peso são capazes de qualquer coisa para alcançar este objetivo. Muitas vezes, acabam adotando uma dieta restritiva, que, literalmente, elimina alguns tipos de alimentos da rotina alimentar. O resultado pode até ser satisfatório em um primeiro momento, mas há o outro lado da moeda.

“Quando fornecemos ao organismo muito menosenergia do que ele necessita, o corpo entende que corre risco de morrer por inanição (grande debilidade ou fraqueza por falta de alimento) e, portanto, precisa se proteger”, explica Alessandra Luglio, nutricionista esportiva do Instituto de Prevenção Personalizada. “Isso se dá com a diminuição gasto calórico em todas as atividades que realizamos, inclusive nas mais básicas, como respirar, pensar e falar.”

Segundo a especialista, manter o corpo neste modo Stand By pode trazer uma série de problemas que reverterão o efeito da dieta. Ela listou quatro:

  1. Apetite descontrolado
    “Quando se fica muito tempo sem comida, chega uma hora em que não dá para segurar o apetite. Há uma queda na taxa de glicose no sangue (hipoglicemia), que traz uma vontade quase incontrolável de comer”, comenta. Existe uma ação hormonal que induz a isso: a redução da leptina, o hormônio da saciedade, e o aumento da grelina, o hormônio da fome. “Juntos, eles levam à compulsão e, mais grave, abrem as portas das células de gordura para que essas calorias sejam armazenadas mais rapidamente”, relata Alessandra. Portanto, o ganho de peso é uma das consequências.
  2. Desperdício do treino
    Mesmo que você continue treinando (ou comece a se exercitar) durante essa dieta, seu rendimento será muito baixo e, provavelmente, faltará energia ao longo ou após a atividade – prejudicando, inclusive, a regeneração muscular. “Quando está em hipoglicemia, o corpo faz uma triagem e destina a pouca energia que resta às funções vitais, como a respiração, e não sobra nada para os músculos.” Com isso, a pessoa pode sentir tonturas durante a atividade.
  3. Imunidade comprometida
    Com a restrição na dieta, acontece a queda do consumo de nutrientes. Dependendo das escolhas alimentares que a pessoa fizer, a saúde pode ser afetada. “Quando levamos em consideração somente as calorias que consumimos, e não o aporte geral de nutrientes, escolhemos os que nos fornecem menos calorias com mais sabor, deixando de lado a necessidade de ingerir vitaminas, minerais, fibras, além dos, hoje tão famosos, compostos bioativos, presentes nos alimentos que exercem funções de grande importância para a manutenção da saúde”, relata a nutricionista.
  4. Falta de concentração e baixo rendimento cerebral
    A má alimentação deixa o raciocínio mais lento, atrapalha a memória e influencia nos reflexos das pessoas. “A glicose é a única fonte de combustível da mente. Quando a taxa dela cai no sangue, a pessoa tem dificuldade de memória, déficit de atenção, irritabilidade, tonturas e até dor de cabeça.”

Fonte: Sua Corrida

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s